Curtas

A partir do dia 09/07/2017, a transferência entre linhas municipais de Diadema e São Paulo e linhas de trólebus será tarifada em R$1,00 nos terminais Diadema, Piraporinha e São Mateus. [05/07/2017 - 14h30]

De acordo com publicação do Diário Oficial de São Paulo, de 03/02/2017, o ponto final das linhas 020, 022, 131 e 492, em Carapicuíba, passará a ser na altura do nº 262 da Rua Ten. José Nogueira, um pouco acima do terminal oficial atual. Data ainda não definida. [03/02/2017 - 11h25]

sexta-feira, 11 de agosto de 2017

Quatro linhas metropolitanas podem deixar de atender região do Hospital das Clínicas

Foto: Cristiano Pires

De acordo com publicação da Prefeitura de São Paulo no Diário Oficial, quatro linhas intermunicipais devem ter seus respectivos "terminais secundários" alterados para a Estação Butantã, da Linha 4 - Amarela do Metrô, por determinação dela mesma, através de sua Secretaria Municipal de Mobilidade e Transporte. São elas:

033TRO - Embu das Artes (Engenho Velho) x São Paulo (Clínicas)

089TRO - Taboão da Serra (Jd. São Judas) x São Paulo (Clínicas)

124TRO - Embu das Artes (Jd. Santo Eduardo) x São Paulo (Clínicas)

191TRO - Taboão da Serra (Pq. Pinheiros) x São Paulo (Clínicas)

Com a mudança, estas linhas deixam de atender o entorno das Ruas Teodoro Sampaio e Cardeal Arcoverde e, consequentemente, o bairro de Pinheiros. Como compensação, a extinta linha 576TRO, que outrora fazia o percurso entre a Estação Butantã e o Largo da Batata, quando diversas linhas da região oeste da Grande São Paulo também tiveram seus ponto finais alterados para a estação, deve ser reativada, porém agora cobrindo o trecho entre as estações Butantã e Clínicas do metrô.


Competência


Algumas pessoas podem se perguntar: "Ora, mas não é a EMTU quem gerencia linhas intermunicipais e deve definir o itinerário delas?". Sim e não. Como procedimento padrão, ao criar uma linha, a EMTU envia a proposta de itinerário desta às prefeituras de todos os municípios por onde a linha irá passar, sendo que cada prefeitura deve autorizar o itinerário proposto dentro de seu respectivo município.

Além disso, as prefeituras têm autonomia para encaminhar propostas de alteração de itinerários de linhas intermunicipais dentro do território de suas cidades, devendo a EMTU comunicar as empresas operadoras e usuários tal alteração (ainda não vi casos da EMTU recusando alteração de itinerário propostas por prefeituras).

Três exemplos que podem explicar este procedimento são a recente mudança de itinerário das linhas 489 e 815 e a mudança nos pontos finais das linhas 239, 247, 247VP1, 420 e 540, ambas orquestradas pela Prefeitura de Cotia, e a mudança no itinerário de 26 linhas metropolitanas oriundas de Guarulhos, determinada pela Prefeitura de São Paulo em conjunto com a CET; onde a EMTU cumpriu a decisão e organizou tais mudanças.

A EMTU ainda não se manifestou sobre o assunto. Ainda não há prazo definido para a alteração, caso seja efetivada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário